Olá, gentes! Perdão por desaparecer, mas hoje me senti mais inspirada em conversar um pouco sobre o meu sumiço, tanto do blog quanto do WoW! Então preparem-se que lá vem história!

Quando criei o Cofre Etéreo tinha o objetivo de compartilhar dicas de WoW, falar sobre meu dia a dia no jogo, e de repente compartilhar informações e opiniões de outros jogos também. Na época tinha em mente tutoriais sobre WoW e levei isso adiante por algum tempo pois, bom… jogo WoW há alguns anos, e parte do segredo de se manter jogando algo por tanto tempo é justamente sempre encontrar coisas novas e legais pra fazer apesar de, de certa maneira, ter visto um pouco de tudo dele.

Eis que, durante uma stream no meu canal da Twitch, estávamos falando sobre Final Fantasy XIV, e de como eu sentia falta de poder jogá-lo também. Pra quem me conhece há muito tempo, durante Mists of Pandaria me aventurei pela primeira vez no FFXIV, e precisei parar de jogar principalmente pelo custo: na época, a Ficha de WoW ainda não existia, e aqui em casa pagávamos 2 mensalidades de WoW e duas de FFXIV direto pela Square Enix, ou seja, em Dólar. Resolvemos então cortar o Final Fantasy.

Alguns anos depois ele foi disponibilizado pela Steam e com a assinatura em Reais, a um custo beeeem mais condizente com nossa realidade, porém nunca voltei a jogar. Mas durante a conversa com o chat na Twitch, um viewer querido mencionou que o pacote completo do Final Fantasy XIV estava em promoção, e coincidentemente tínhamos algum dinheiro sobrando pra criar duas novas contas. Eis que abrimos a Steam e compramos o jogo 😛

Arganthe Nethersong, em seu primeiro contato com Hydaelyn

Arganthe Nethersong, em seu primeiro contato com Hydaelyn

Desde Maio até hoje jogo o Final Fantasy XIV de novo, e não é porque eu fiquei de saco cheio ou odeio o WoW como muita gente parece pensar. Eu ainda amo o WoW e, apesar de ter alguns negócios inacabados por lá, estou aproveitando – e muito – esse tempo redescobrindo o FFXIV!

Não gosto de comparar os dois jogos porque apesar de serem MMOs, FFXIV e WoW são essencialmente muito diferentes. Cada um tem seus diferenciais e coisas que definitivamente poderiam ser aproveitadas em ambos os jogos, mas para começar a jogar um deles após dar um tempo no outro é necessário se desprender de alguns conceitos do anterior ^^


Como eu disse antes, eu já tinha tido algum contato com FFXIV antes, em 2015. Naquela época existia apenas o A Realm Reborn, e das poucas coisas que me lembro, uma delas era a dificuldade do jogo: tudo era muito, muito, MUITO difícil! Minha maior tristeza foi ter parado de jogar sem conseguir derrotar o Titan no modo Hard para prosseguir com as missões da minha relíquia de classe. Além disso, algumas habilidades que podiam ser usadas em vários Jobs precisavam ser desbloqueadas por múltiplas classes, e isso dava um bom trabalho! Outro aspecto que me recordo bem era a dificuldade de nivelar os Disciples of Hand/Land, que são os equivalentes às profissões de crafting e gathering do WoW.

Mas eu fiquei legitimamente fascinada com como o jogo evoluiu de todos estes anos pra cá. Além de 3 expansões (Heavensward, Stormblood e Shadowbringers) muitos aspectos do jogo foram melhorados, com muitos conteúdos novos e relevantes mesmo que você já tenha concluído a história principal do jogo. Eu levaria horas para explicar o porque estou tão entretida no Final Fantasy, mas vou tentar resumir em tópicos 😉

Porque gosto tanto do Final Fantasy XIV

  • Conteúdo 100% relevante, independente do nível: esse é o aspecto mais certo pra mim no jogo. Independente se você é um jogador novo, veterano ou que está retornando depois de muitos anos pro jogo, todo o conteúdo vai ser relevante e oferecerá alguma recompensa de acordo. Com um mesmo personagem você nivela todos os jobs, o que faz com que você visite e revisite muitos Duties (Masmorras), Trials e Raids para upar seu personagem. Se você fizer a mesma coisa com um personagem de nível alto, você recebe uma recompensa pelo tempo dispensado no conteúdo.
  • Variedade de opções de jogo: além das missões e instâncias PvE, o jogo hoje tem diversos modos de PvP, além de conteúdos diferentes como o Palace of the Dead e Heaven on High, que são masmorras “infinitas” com múltiplas recompensas, o Gold Saucer que é uma espécie de cassino onde você pode fazer várias atividades e desbloquear itens muito legais, além de conteúdos totalmente diferentes como o Ishgard Restoration, onde Disciples of Hand e Land se juntam para reconstruir uma cidade inteira destruída por uma guerra de muitos anos, e que possivelmente se tornará uma área residencial para os próprios jogadores! Isso me leva para o próximo aspecto que gosto MUITO do jogo…
  • Housing: housing de verdade, com casas de múltiplos tamanhos e em múltiplas áreas, onde os jogadores tem de fato um endereço físico no jogo e que eles podem decorar como preferirem! Eu não tinha ideia do quanto eu precisava disso na minha vida, e é definitivamente uma das coisas que mais gosto no FFXIV.
  • Glamour: o sistema de glamour (transmog para os jogadores de WoW) é espetacular! Além dos glamours específicos para a a classe/job que está jogando, o FFXIV oferece uma variedade IMENSA de itens que podem ser usados na aparência do equipamento, sem tantas regras e limites como estamos acostumados no WoW, e que podem ser usados independente do nível do jogador.
  • Desafios: existem tantos desafios diferenciados no FFXIV que eu não saberia por onde começar, mas alguns exemplos são: as Raids Ultimate, desafios de Blue Mage que lembram muito a Torre dos Magos, achievements quase impossíveis e que justamente por isso são metas (ex.: Who Wants to Be a Gillionaire?, um achievement que consiste em juntar 10.000.000 de gil fazendo apenas Leves, que são missões que podem ser repetidas por recompensas específicas) e muito mais!
  • Sistemas de jogo complexos: eu sempre gostei de jogos complexos, e todos os sistemas do jogo oferecem um nível de complexidade adequado pra situação, desde como colorir corretamente seu chocobo até rotações elaboradíssimas para criar itens Expert de Disciple of Hand. Um dos meus aspectos favoritos do jogo é o Fishing, onde existem múltiplos peixes que só podem ser pegos em situações específicas de clima e hora do dia. E para aqueles que gostam só de alcançar os objetivos o mais rápido possível, existem inúmeros recursos criados pela própria comunidade para facilitar a vida na hora de fazer algo, como o Chocobo Colour Calculator!
Minha casa em Lavender Beds

Minha casa em Lavender Beds (até eu trocar para uma mansão em Shirogane no dia 13/10, será? :o)

Além destes itens, eu poderia listar mais uma variedade imensa de outros motivos pelo qual eu estou jogando! Sobre o WoW, eu pretendo voltar sim em Shadowlands, mas meu coração está neste momento em Eorzea, mais especificamente em Lavender Beds, Ward 21, Plot 1!

O que ando aprontando em Eorzea?

Eu voltei a jogar 100% casualmente! Tinha absolutamente 0 intenção de criar raízes no jogo e me dedicar tanto à ele, porém eu fiz um pouquiiinho mais que isso até agora :P. Mas ao invés de falar sobre vou simplesmente colar um monte de fotinhos que tirei ao longo destes meses aqui 😉


Com esse wall of text o que quero dizer é: não tem nada errado em ficar um pouco de saco cheio de um jogo que se gosta muito, e nada errado também em variar um pouco de jogo! Quem sabe assim não se encontra algo tão legal quanto pra passar o tempo durante esse tempo de espera entre expansões?

Pra quem quiser jogar FFXIV, venham para o servidor Primal > Lamia! É lá que jogo com meus amigos e inclusive formamos uma nova Free Company para receber todos que quiserem jogar com a gente, com direito a Bodinho montando um core (ou static como as pessoas chamam por aqui ^^) para fazer progressão nas raids e trials atuais.

Sobre as streams, elas voltaram logo logo! Estou preparando um novo overlay, agenda e atividades! Por ora provavelmente transmitirei apenas FFXIV, mas a ideia é voltar a fazer conteúdo de WoW também, bem como outros jogos como Oxygen Not Included e Hammerting (se a Steam me deixar jogar por mais do que 1 hora por dia :P). Sinto bastante falta de bater papo diariamente sobre joguinhos, a vida e muito mais com vocês e não vejo a hora de voltar 💜

Beijos e bom fim de semana!

Eu não sei vocês, mas quando vi as Alpacas em Vol’dun a primeira vez tive uma reação semelhante ao Explosineiro Fusivoide: “Viu? Você viu? Viu as alpacas fofinhas?! EU SEMPRE QUIS UMA… Quer dizer, hm, ahem! Eu tenho interesse em adquirir uma alpaca. Para estudos. Fins científicos. Não tem nada a ver com fofura“. Todo mundo que conheço se perguntou desde o início da expansão quando teríamos alpacas como montaria e, a partir do Patch 8.3, elas estão acessíveis para todo mundo!

Para fins científicos, fofuríficos ou qualquer outra finalidade, resolvi dar uma repassada em como conseguir as três alpacas disponíveis como montarias ingame a pedido da querida Blunie! Todas elas são relativamente fáceis de se conseguir, mas vez ou outra as pessoas confundem os modos de obtê-las. Confira comigo 🙂

Eu não sei você querido leitor, mas eu sou a louca dos brinquedos no WoW: pra mim quanto mais melhor. Adoro descobrir bruxas disfarçadas com minha Agulha de Costura de Lucília, quebrar minha Piñata de Ogro pra pegar chicletes ou pra virar uma Elfa Noturna a serviço de Ragnaros com meu medalhão de Leyara. E mesmo que um brinquedo não tenha uma utilidade prática exceto encher o raide de bagunça, gosto de colecioná-los porque… bem, coleção ^^.

Mas nesta semana temos a Caminhada Temporal de Burning Crusade acontecendo e, na minha opinião, ela dispõe de dois dos brinquedos mais úteis neste jogo em minha opinião: o Crânio de Necrólito Fraturado e o Espelho Mutável. É possível obtê-los fazendo algumas caminhadas com alts que não estejam juntando Distintivos Transtemporais para montarias e, acredite, você vai querer ambos!

Ir ao Topo