Olá, gentes! Perdão por desaparecer, mas hoje me senti mais inspirada em conversar um pouco sobre o meu sumiço, tanto do blog quanto do WoW! Então preparem-se que lá vem história!

Quando criei o Cofre Etéreo tinha o objetivo de compartilhar dicas de WoW, falar sobre meu dia a dia no jogo, e de repente compartilhar informações e opiniões de outros jogos também. Na época tinha em mente tutoriais sobre WoW e levei isso adiante por algum tempo pois, bom… jogo WoW há alguns anos, e parte do segredo de se manter jogando algo por tanto tempo é justamente sempre encontrar coisas novas e legais pra fazer apesar de, de certa maneira, ter visto um pouco de tudo dele.

Eis que, durante uma stream no meu canal da Twitch, estávamos falando sobre Final Fantasy XIV, e de como eu sentia falta de poder jogá-lo também. Pra quem me conhece há muito tempo, durante Mists of Pandaria me aventurei pela primeira vez no FFXIV, e precisei parar de jogar principalmente pelo custo: na época, a Ficha de WoW ainda não existia, e aqui em casa pagávamos 2 mensalidades de WoW e duas de FFXIV direto pela Square Enix, ou seja, em Dólar. Resolvemos então cortar o Final Fantasy.

Alguns anos depois ele foi disponibilizado pela Steam e com a assinatura em Reais, a um custo beeeem mais condizente com nossa realidade, porém nunca voltei a jogar. Mas durante a conversa com o chat na Twitch, um viewer querido mencionou que o pacote completo do Final Fantasy XIV estava em promoção, e coincidentemente tínhamos algum dinheiro sobrando pra criar duas novas contas. Eis que abrimos a Steam e compramos o jogo 😛

Arganthe Nethersong, em seu primeiro contato com Hydaelyn

Arganthe Nethersong, em seu primeiro contato com Hydaelyn

Desde Maio até hoje jogo o Final Fantasy XIV de novo, e não é porque eu fiquei de saco cheio ou odeio o WoW como muita gente parece pensar. Eu ainda amo o WoW e, apesar de ter alguns negócios inacabados por lá, estou aproveitando – e muito – esse tempo redescobrindo o FFXIV!

Não gosto de comparar os dois jogos porque apesar de serem MMOs, FFXIV e WoW são essencialmente muito diferentes. Cada um tem seus diferenciais e coisas que definitivamente poderiam ser aproveitadas em ambos os jogos, mas para começar a jogar um deles após dar um tempo no outro é necessário se desprender de alguns conceitos do anterior ^^

Eu não sei vocês, mas quando vi as Alpacas em Vol’dun a primeira vez tive uma reação semelhante ao Explosineiro Fusivoide: “Viu? Você viu? Viu as alpacas fofinhas?! EU SEMPRE QUIS UMA… Quer dizer, hm, ahem! Eu tenho interesse em adquirir uma alpaca. Para estudos. Fins científicos. Não tem nada a ver com fofura“. Todo mundo que conheço se perguntou desde o início da expansão quando teríamos alpacas como montaria e, a partir do Patch 8.3, elas estão acessíveis para todo mundo!

Para fins científicos, fofuríficos ou qualquer outra finalidade, resolvi dar uma repassada em como conseguir as três alpacas disponíveis como montarias ingame a pedido da querida Blunie! Todas elas são relativamente fáceis de se conseguir, mas vez ou outra as pessoas confundem os modos de obtê-las. Confira comigo 🙂

Eu não sei você querido leitor, mas eu sou a louca dos brinquedos no WoW: pra mim quanto mais melhor. Adoro descobrir bruxas disfarçadas com minha Agulha de Costura de Lucília, quebrar minha Piñata de Ogro pra pegar chicletes ou pra virar uma Elfa Noturna a serviço de Ragnaros com meu medalhão de Leyara. E mesmo que um brinquedo não tenha uma utilidade prática exceto encher o raide de bagunça, gosto de colecioná-los porque… bem, coleção ^^.

Mas nesta semana temos a Caminhada Temporal de Burning Crusade acontecendo e, na minha opinião, ela dispõe de dois dos brinquedos mais úteis neste jogo em minha opinião: o Crânio de Necrólito Fraturado e o Espelho Mutável. É possível obtê-los fazendo algumas caminhadas com alts que não estejam juntando Distintivos Transtemporais para montarias e, acredite, você vai querer ambos!

Ir ao Topo